mostb editora                                                                                                     Revista Digital               mostb editora                                                                                                    
  • MOSTB Editora

Vamos falar do PIX?



No último dia 16 de novembro de 2020 entrou no mercado o PIX, um dos sistemas bancários mais acessíveis e desburocratizados do Brasil. A facilidade de enviar e receber dinheiro 24 horas por dia, 7 dias por semana, tudo via celular. Que maravilha! E aí você aprovou a ideia?


OK! Mas falar das vírgulas desse sistema que podem colocar a sua vida e das pessoas que você ama em risco. Você que é adepto desse sistema já parou para fazer as seguintes perguntas/reflexões? Se o PIX precisa apenas do seu CPF e de quem vai receber, e um link no seu celular, quais as garantias o banco central ou o seu banco te darão, caso haja uma transferência equivocada, ou seja, um número de conta corrente errada, ou quantia que precisa ser anulada, ou mesmo um assalto?


Oi? Assalto? Isso mesmo! Se você sofrer um sequestro relâmpago, como você será ressarcido do dinheiro retirado da sua conta por você mesmo? E pior! Já pensaram que roubos de celulares podem aumentar, e que sequestros relâmpagos idem? E o que antes era uma segurança para seu filho que sai de madrugada, refiro me o uso do celular, passará a ser uma ferramenta que o colocará em perigo absoluto?


Não! Não sou pessimista, mas no próprio manual de segurança emitido pelo banco central constam as especificações que a responsabilidade de má utilização do sistema é de total responsabilidade do usuário. (Manual de Segurança do SFN versão 4.03 ) :


3.5 –

3.5.7 Todas as Instituições devem aderir às especificações de segurança do SPB, bem como ao Protocolo de Segurança para troca das mensagens. 3.5.8 Toda e qualquer mensagem gerada e enviada à RSFN por um de seus participantes é de exclusiva responsabilidade de quem a originou.


E, em seguida reiteram que a responsabilidade é do usuário no item 3.6 - 6: 3.6 Diretrizes 3.6.1 Todas as conexões da RSFN deverão estar configuradas de acordo com as normas de segurança da(s) concessionária(s) fornecedora(s) da infraestrutura de telecomunicação (OB). 3.6.2 O participante deverá criar e manter Plano de Contingência adequado para suportar sinistros (RE).


E agora, o que você acha? Vai embarcar no PIX ou vai pedir para o banco central rever as normas de segurança, estipulando limite, horário de transferência ou pedir para assumirem a responsabilidade no caso de transferência indevida ou errada?


Quer saber mais? Leia o manual de segurança nesse link e confira como fica claro que o banco central está preocupado em repassar as responsabilidades das movimentações para as instituições financeiras e aos seus usuários. E sim, há uma rastreabilidade dos valores que o banco central também se preocupou. Claro! Afinal é por ali que o leão se alimenta. Ah! E não se esqueça, a transação pode ser de graça, mas você continua pagando os pulsos utilizados pelo seu celular, ou seja, a tarifação pelo uso dos dados da internet continuam e a gente nem percebe que essas tarifações existem, isso vale para aquelas informações mandadas para a sua Alexia, geladeira, bluetooth entre outros.


Pense nisso!


Linda Borges


#pix #transaçõesbancarias #segurança #internet #informação #mostb.com

​© Copyright 2010/2020 - Todos os direitos reservados www.mostb.com

São José dos Campos. São Paulo. Brasil