• MOSTB Editora

PROAÇÃO, PREVENÇÃO e RESULTADOS Desenvolvimento Humano

PROAÇÃO

Nossa abordagem está apoiada no tripé: PROAÇÃO, prevenção e resultados.

PROAÇÃO ou prevenção, conduz a melhores e maiores resultados para a corporação e para as pessoas?




O primeiro ponto a ser considerado nessa abordagem é a conceituação de Risco:

Risco é a determinação da frequência de um acontecimento e suas possíveis consequências, daí decorrentes. A partir deste conceito, tem-se como objetivo do controle de risco, a redução da probabilidade de situações de exceção, sinistros, por meio de ação proativa, aqui entendida como ação prévia à prevenção.


Prevenção

Normalmente, ações preventivas são planejadas e executadas, a partir de uma situação já vivenciada, pensando-se na eliminação ou redução da reincidência do fato, enquanto a PROAÇÃO, visa a eliminação ou redução da probabilidade da incidência do fato. Ou seja: PROAÇÃO é o antídoto às ocorrências emergenciais.


O pensar e agir proativamente requer uma cultura alicerçada em contingências, não sendo vital a consideração do que é habitual, mas sim, as exceções.

Reflitamos


Costumamos, no nosso cotidiano, adotar essa análise de contingências e nos preparar para anormalidades e sinistros?

Quando jovens planejamos o nosso futuro considerando todas as nossas forças e fraquezas, oportunidades e ameaças do ambiente externo, e buscamos medidas para antecipação às nossas perdas de trabalho, renda, status, saúde...


O mais frequente é pensar que essas questões não nos atingirão. Se traçássemos um plano de ação para a velhice ainda na nossa juventude, seria m belo exemplo de PROAÇÃO, mas se traçamos o tal plano às portas da “terceira idade” é uma simples prevenção, e em alguns casos, correção para “apagar incêndio”.


Atualmente estamos todos, jovens e não jovens, sofrendo as consequências da falta de PROAÇÃO e prevenção não adotadas há quatro, três décadas atrás, e que estão impactando as despesas operacionais e os resultados de produtividade e lucratividade das corporações.


Hoje, saúde é a grande vilã das despesas com pessoas nas organizações., mas também é uma ferramenta vital para a sustentabilidade corporativa e como tal, deve estar relacionada à estratégia de negócio, aos objetivos da área de RH e presente nas ações de Saúde em todas as dimensões do ser humano (física, intelectual, emocional, social, espiritual e profissional), com ação transdisciplinar das áreas afins: Segurança, Social, Alimentação, Educação Jurídica,... E das Lideranças.


Resultados

E o que as organizações podem e devem fazer?

Proativamente

A partir da contratação da sua força de trabalho, realizar a auditoria da qualidade de vida destes empregados, traçar um plano de melhoria individual, compartilhando os resultados com o gestor.


O empregado deve traçar metas para a qualidade de sua vida e informá-las ao seu líder/gestor, pois o benefício da melhoria será para ambos.

Esta é uma ação proativa: a empresa não conhece o perfil de saúde integral do empregado.


O perfil de saúde integral do empregado recém admitido , mas traça um plano de ação considerando a contingências: e se esse empregado vier a ser acometido, por exemplo, por câncer de próstata, uma vez que um em seis homens poderão ser ter essa doença? Terá assistência médica, benefícios?


Preventivamente- Cabe à empresa:

Identificar quais as práticas em saúde trouxeram melhores resultados e mantê-las, aprimorá-las e custeá-las, se for o caso, se o Estado não provier o recurso.

Focar não apenas os empregados com mais alto grau de risco e sim, naqueles que são “Top”. Temos por vezes a tendência de focar o problema instalado e deixar de lado a PROAÇÃO/prevenção, a atenção para aqueles que ainda não apresentam problemas.

Preparar os líderes para atingirem níveis ideais, na sua saúde. Os líderes são a referência, o exemplo a ser seguido pela equipe.


Garantir ambientes saudáveis: promover relações interpessoais positivas, hábitos saudáveis, reduzindo estresse entre níveis hierárquicos.


Atenção ao presenteísmo. De nada adianta termos pessoas que comparecem ao trabalho, mas totalmente sem energia.


Cuidados: Ilusão e Realidade

Implantar um moderno conjunto de equipamentos para uso pelos empregados em Centro de Condicionamento Físico no ambiente de trabalho ou conveniado; Criar alternativas criativas para tornar o ambiente de trabalho mais arrojado, diferenciado, não são a solução se a organização não olhar para o intangível: como estão as relações interpessoais; existe tensão no clima organizacional, há respeito e valorização do ser humano no ambiente corporativo?


Texto: Jorgete Leite Lemos

Revista SetoRH Para Uma Melhor Gestão de Pessoas. 40ª Ed.

Imagem: Banco de Imagem internet



Jorgete Leite Lemos

Consultora Organizacional

Jorgete Lemos Pesquisas e

Serviços Tel.: (11)3207-3945

Cel. 11)9960-66588 www.jorgetelemos.com.br www.facebook.com/jorgete.leitelemos

ANUNCIE


FORMAS DE PAGAMENTOS

SAC - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

 

REPRESENTANTES

​© Copyright 2010/2019 - Todos os direitos reservados www.mostb.com