mostb editora                                                                                                     Revista Digital               mostb editora                                                                                                    
 
  • MOSTB Editora

Ouro, o ativo estratégico 2021.

O ouro se beneficia de diversas fontes de demanda: como um investimento, um ativo de reserva, joalheria e um componente de tecnologia. Tem alta liquidez, não é passivo, não acarreta risco de crédito e é escasso, preservando historicamente seu valor ao longo do tempo.


A pandemia do COVID-19 aumentou significativamente as incertezas ao combinar os riscos existentes e criar. O lançamento de novas vacinas no final do ano passado alimentou o otimismo de que o pior já havia passado. Ainda assim, a pandemia e a consequente resposta política dos governos provavelmente tiveram terão consequências indesejadas e criarão mudanças estruturais nas estratégias de alocação de ativos.


Os bancos centrais globais efetivamente reduziram as taxas de juros a zero, levando quase toda a dívida soberana a rendimentos reais negativos. Com menos oportunidades de rendimento em ativos de renda fixa - especialmente aqueles de menor duração ou qualidade superiores - os investidores provavelmente continuarão a mudar a exposição para ativos mais arriscados. Isso levou muitos mercados de ações globais a níveis extremos em várias métricas de avaliação e - mais importante - também serviu para aumentar o perfil de risco da maioria das carteiras de investimento.


Aqui especialistas comentam a segurança do investimento em Ouro.

O que torna o ouro um ativo estratégico?

O ouro se beneficia de diversas fontes de demanda: como um investimento, um ativo de reserva, joalheria e um componente de tecnologia. Tem alta liquidez, não é passivo, não acarreta risco de crédito e é escasso, preservando historicamente seu valor ao longo do tempo.


O ouro não está em conformidade com a maioria das metodologias de avaliação mais comuns usadas para ações ou títulos. Sem um cupom ou dividendo, os modelos típicos baseados em fluxos de caixa descontados, lucros esperados ou índices book-to-value, lutam para fornecer uma avaliação apropriada para o valor subjacente do ouro. Isso representou uma oportunidade para o World Gold Council desenvolver uma estrutura para entender melhor a avaliação do ouro.


O que é Gold Valuation Framework (GVF)?

A GVF é uma metodologia que permite aos investidores entender os impulsionadores da demanda e oferta de ouro e, com base no equilíbrio do mercado, estimar seu impacto no desempenho dos preços.


O valor do ouro pode ser explicado pela interação de quatro motivadores principais:

  • Expansão econômica: períodos de crescimento são muito favoráveis ​​a joalheria, tecnologia e economia de longo prazo.

  • Risco e incerteza: desacelerações do mercado costumam aumentar a demanda de investimento por ouro como um porto seguro.

  • Custo de oportunidade: o preço de ativos concorrentes, especialmente títulos (por meio de taxas de juros) e moedas, influencia as atitudes dos investidores em relação ao ouro

  • Momento: fluxos de capital, posicionamento e tendências de preços podem impulsionar ou diminuir o desempenho do ouro.

O ouro sempre foi moeda de troca, investimentos de segurança para governos, empresas e investidores e pelo que tudo indica vai continuar sendo um ativo seguro.


Texto: Equipe MOSTB.

Imagem: Banco de Imagem Internet.

Posts recentes

Ver tudo