• MOSTB Editora

Afinal é papel do Coach curar traumas?

Polêmicas à parte! A minha intenção, neste artigo, é esclarecer o que é Coaching especificamente, assim como o papel e a responsabilidade de um profissional que exerce a atividade de Coaching.



Sobre o folhetim…

Resgatando o que ocorreu no mundo da ficção, a jovem advogada, confidenciou ao seu gestor Advogado, que participou de um workshop de coaching e que fez uso da metodologia para extrair de uma cliente mais informações sobre o problema dela. Até aqui eu gostei, enfim a mídia expõe o Coaching! Eu mesma, em 2003, quando participei do primeiro workshop de coaching, me apropriei da metodologia e mudei o meu estilo de liderar. Não me posicionei como coach, tampouco lider-coach, apenas utilizei as ferramentas, em especial as perguntas poderosas ou sistêmicas, que auxiliavam a mim e a equipe a esclarecermos os projetos e objetivos da área. Aprendi a ouvir com atenção os anseios do time e a entender o perfil de cada colaborador, dessa forma consegui mais performance deles e me liberei das tarefas que costumava acumular. Aprendi a delegar. Eu realmente vejo com bons olhos os profissionais que lidam com pessoas, buscarem mais ferramentas de apoio a gestão e tenho o Coaching como um instrumento valioso no desenvolvimento de pessoas.


O que é Coaching…

Trazendo à tona o conceito de Coaching, palavra em inglês, a qual não se traduz à letra, visto que representa mais do que um treinamento, é uma atividade de formação pessoal em que o coach apoia e estimula o coachee a avançar em alguma área da sua vida. Surgiu por volta de 1830 na universidade britânica de Oxford para definir o papel de um tutor particular, que orientava o aluno a se preparar para um determinado exame. Mais tarde passou a ser aplicada, também, para apoiar o desenvolvimento de cantores, atletas e atores.

O Coaching é um processo estruturado a partir das questões trazidas pelo coachee; é personalizado. Em geral está relacionado a mudanças comportamentais, planejamento de carreira, projeto de vida ou tomada de decisão. Tem como base a “Pergunta poderosa” que inspira, gera reflexão e leva a ação. Logo no início do processo, o Coachee descreve o seu momento atual e expõe o objetivo a ser alcançado. O papel do coach é conduzir o Coachee de seu “estado atual” ao “estado desejado”. Como veem, o coaching focaliza presente e futuro. Diferente da terapia que visa aliviar uma dor e tem a causa no passado. Entretanto, existem diferentes Modelos de Coaching, dentre eles, Coaching com PNL (Programação Neurolinguística) que vai além das perguntas poderosas, a PNL suporta o Coaching com ferramentas e modelos essenciais para auxiliar o coachee em seu processo evolutivo, neste caso, um olhar para o passado ajuda a entender quais crenças limitantes o coachee carrega consigo, de onde eles vem e como transforma-las em recursos. Coaching é uma jornada de autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e de mudanças.


Sobre o profissional que exerce a atividade de Coaching…

Profissional certificado, preparado para conduzir o processo de Coaching, estabelecendo relação de confiança e acordo de ética com o coachee. Tem como função apoiar e orientar o coachee, ora estimulando-o, ora desafiando-o por meio de perguntas bem formuladas. Durante os encontros, ao perceber situações em que o coachee se sinta desprovido de recursos para acessar as respostas, o coach aplica técnicas específicas para ajudá-lo a eliminar os possíveis obstáculos e resgatar a autoconfiança. O coach acompanha o desenvolvimento do coachee observando os comportamentos, a motivação ao dar e receber feedbacks, a postura, a comunicação, tendo como parâmetro a avaliação inicial.

Saber ouvir é uma das habilidades mais importantes na atividade do coach. Para isso, manter-se em estado de presença é primordial, o corpo e a mente devem ocupar o mesmo espaço, aqui e agora. Essa é maneira mais efetiva de compreender a realidade da outra pessoa sob a perspectiva dela. Escutar o coachee além das palavras é função do Coach. O coach jamais dá respostas. Ele faz perguntas e aplica técnicas para que o coachee as encontre.


Caso o Coach venha a identificar qualquer questão traumática que esteja influenciando negativamente no desempenho do coachee, o que deve fazer? Esta questão é o limiar entre o Coach e o psicoterapeuta. Por ética, o Coach deve encaminhar o coachee a um profissional especializado para o acompanhamento e alivio da dor. E paralelamente continuar o trabalho com foco em metas e objetivos.


Sobre o Coachee…

Coachee é a pessoa que recebe o processo de Coaching. É responsável pelo próprio sucesso durante a jornada de Coaching. Para tanto, assume compromissos com a agenda, se conscientiza sobre a importância de executar as tarefas, mostra disposição para promover mudanças de comportamentos, deve estar aberto a explorar diferentes maneiras de aprender. A iniciativa de contratar um coach demonstra forte estímulo para crescer, se desenvolver e de esclarecer o propósito de vida.


Como se operacionaliza um processo de coaching…

Formaliza-se um contrato de coaching, esclarecendo as responsabilidade das partes, a agenda, a confidencialidade, o código de ética e a forma de pagamento. O Coach se posiciona como um parceiro ético que vai apoiar e orientar o coachee durante a jornada. O Coachee se compromete a cumprir as tarefas, a obedecer a agenda e a dar feedback sobre o progresso em direção ao objetivo.


Voltando ao folhetim, ficção é ficção, o enredo se aproxima da realidade, só que não é a realidade. A advogada que havia feito apenas um Workshop e não a certificação em coaching, afirmou ser coach no capitulo seguinte, enveredou-se para a atividade de coaching com Hipnose Ericksoniana e ai deu no que deu… Um tremendo alvoroço por parte dos psicólogos e coaches, envolvendo as entidades representativas, questionando a maneira como o coaching foi abordado. Na realidade, a advogada “Coach” não abordou a metodologia coaching como se deve abordar, foi bastante superficial, colocando em cheque o papel do Coach. Coaching não cura! Coaching trata de metas e objetivos.


Como atuaria um Coach bem preparado…

Um bom coach investigaria mais a cliente para se certificar de que a questão era trauma. Para nós, enquanto audiência, estava claro que o problema da cliente evidenciava abuso, um típico caso a ser tratado por psicólogos, psicanalistas, psicoterapeutas ou psiquiatras, jamais por um Coach sem especialização em uma dessas áreas. O risco de colocar uma pessoa em transe por meio da indução hipnótica é muito grande, ela poderá sair pior do que entrou. Neste caso, de que maneira um profissional, que não tem domínio da abordagem psicoterapeutica ou psicanalítica, vai ajudar o cliente a sair do processo traumático? É muito delicado entrar neste campo. A ética do Coaching é clara. O Coach deve estimular o coachee ou o patrocinador a mudar o foco de seu processo caso avalie que o coachee alcançará melhor resultado se for atendido por outro Coach ou por outros profissionais especializados.


Como funciona a hipnose Ericksoniana…

A hipnose Ericksoniana foi criada pelo psiquiatra norte-americano Milton Erickson. A técnica parte do pressuposto de que uma pessoa responde, de acordo com o seu referencial, às técnicas e aos estímulos observados, por isso a hipnose é utilizada de forma única, porém adaptada a realidade do paciente, respeitando e validando as respostas individuais para esse fenômeno. A indução hipnótica é feita para facilitar o acesso ao inconsciente e provocar o cliente a reviver as experiências do passado, buscando identificar situações que ainda lhe causam mal estar. Ao entrar em contato com a situação durante o transe, a pessoa toma consciência do fato, reformula os pensamentos e dá um novo significado à questão. O objetivo central é encontrar outras respostas, não mudar o que aconteceu e sim aprender com o que aconteceu. Lembrando que eventos traumáticos devem ser direcionados a profissionais especializados.


Nem tudo foi tão mal…

O ponto positivo desta polêmica foi levantar a questão e esclarecer os significados e responsabilidades de cada abordagem.

Nesta quinta, 01 de março, o folhetim trouxe o que nós Coaches esperávamos, a advogada “Coach” sugeriu a coachee procurar o apoio de um profissional especializado em psicologia, para ajuda-la a se libertar do trauma e permitir a ela viver plenamente.

Diferenças entre Coaching e outras abordagens:

Coaching

Focaliza metas e objetivos. Avalia o presente e define o futuro. O profissional Coach não precisa, necessariamente, ser especializado na área de atuação do coachee. Mas deve ser hábil na formulação de perguntas e na escuta ativa, para estimular o coachee a encontrar as respostas. Seu papel é apoiar e orientar o coachee durante a jornada.

Psicoterapia

O cliente busca alívio para sintomas psicológicos ou físicos. A terapia lida com a saúde mental do cliente. Trabalha com as experiências do passado.

Consultoria

O consultor é dotado de conhecimento especializado. Tem a função de solucionar problemas do negócio ou desenvolver um negócio de maneira global. O consultor só afeta os indivíduos de forma indireta. Em geral, aponta problemas nos processos e recomenda soluções.

Mentoria

O Mentor é considerado expert, profissional experiente na organização ou na profissão de seu pupilo. Ele compartilha experiências e indica soluções.

Treinamento

É o processo de adquirir habilidades ou conhecimentos por meio de estudos, experiências ou ensino. O treinador, por definição, é o especialista e, numa sala de aula, todos os participantes recebem o mesmo conteúdo.




Noscilene Santos, Master Coach, Facilitadora Sistêmica Estrutural, Conferencista internacional, escritora e prof. de Pós-graduação em Coaching, Liderança e Motivação. Experiência profissional no mercado financeiro inclui atuação como executiva. Desde 2006 dirige a People Training - treinamentos e Coaching. PhD em Business Administration, defendeu a tese “Coaching da teoria à prática, aprovada com louvor.




ANUNCIE


FORMAS DE PAGAMENTOS

SAC - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

 

REPRESENTANTES

​© Copyright 2010/2019 - Todos os direitos reservados www.mostb.com